Call of Duty Black Ops, dados e polemicas

blackops Dia 9 de novembro ficou marcado com o lançamento do tão aguardado Call of Duty Black Ops, provavelmente o shooter do ano, superando Medal of Honor e qualquer um que tenha sido lançado.

Com a importante missão de superar Modern Warfare 2 lançado pela Infinity Ward ano passado, que também ficou marcado por uma encrenca envolvendo os chefões da Activision e os desenvolvedores do jogo, que acabaram sendo afastados da empresa e se integrando em um novo estúdio que hoje possui acordo com a Eletronic Arts, de Medal of Honor.

A série Call of Duty, até então, era desenvolvida em um tipo de rodízio, um ano pela Treyarch, outro pela Infinity Ward, esse ano´é a vez da primeira, e Black Ops chegou, retratando um enredo que envolve momentos da guerra fria, com missões ilegais e secretas que envolvem sabotagens e assassinatos por debaixo dos panos.

O jogo como era de se esperar, foi um sucesso de vendas, em apenas dois dias, já são contabilizados 7 milhões de unidades vendidas, e na Live, mais de 1 milhão de jogadores já jogaram online. O número de vendas superou Modern Warfare 2 e o jogo tem recebido notas bem altas para um shooter pela crítica especializada.

Mas nem tudo são flores, e o jogo apesar de estar se saindo muito bem, até mais que o esperado, está se envolvendo em diversas polêmicas, umas por causa de seu enredo, outras por problemas técnicos.

Vários jogadores relataram problemas nas versões de PS3 e PC, um certo lag anormal em partidas online além de um uso anormal do processador na versão para PC, consumindo 100% de processamento em algumas partes do jogo. A versão de PS3 está marcada por apresentar uma resolução inferior à versão de Xbox além de constantes quedas de framerate.

Os problemas podem ser originados da engine utilizada, que é a mesma de Word at War do mesmo estúdio, que já apresentava alguns problemas e talvez tenha sido má adaptada para este jogo, mas nada que não possa ser corrigido com patchs que devem sair logo.

Outras polêmicas se referem ao enredo, em determinado momento do jogo (pode ser spoiler, mas isso já saiu em tudo quanto é site) deve-se assassinar o líder cubano Fidel Castro. O governo de Cuba está afirmando que o jogo é de extremo mau gosto e que o governo dos EUA devem estar por de trás disso, afim de estimular hostilidade contra Cuba.

Além disso, a data escolhida para o lançamento do jogo, 9 de novembro, também é uma data americana comemorativa, chamada de “Remembrance Day”, data que visa homenagear veteranos de guerra. Alguns militares veteranos se sentiram ofendidos com o jogo e afirmam que a data não é comercial e que a Activision não deveria usa-la para alavancar as vendas de seu produto.

No mais, foi um grande lançamento de um jogo que pode ser épico, com direito até a show do Metallica. Call of Duty Black Ops está disponível para PS3, XBOX 350, PC, Wii e Nitendo DS.

Related Post

Multiplayer de Call of Duty Black Ops Desde Modern Warfare, os jogos da série CoD atingiram um patamar de qualidade difícil de ser quebrado, existem alternativas e parece que a tendência d...

Venão

Gamer que começou com um Master System e passou por todas as gerações após isso. Podcaster, Youtuber e Web Developer.

  • Cadê os zumbis?

  • tem um modo de zumbis cooperativo pra 4 onde se usa 4 personagens historicos, como o kennedy e o fidel

  • não joguei ainda, acho uma putaria esse negocio de sair um jogo por ano, ja paguei caro pra caralho no MW2 e acho q ele tem muita lenha pra dar ainda no multiplayer…

  • Valeu, eu vi o video com o Fidel, Nixon, HeadShotKennedy e o McNamara.

    Eu tb acho putaria isso principalmente em jogos de esportes. Poderiam atualizar via patch, cobrando uma pequena taxa ao invés de lançar um jogo novo todo ano.

  • esse tipo por patch não dá… muita coisa nova… é um jogo novo

    agora os de esportes daria pra fazer

    só acho q poderia levar um tempo maior, com certeza vou querer comprar esse jogo, ai o foda é q ja comprei o mw2, dai ano q vem sai outro… é foda